OSA (disponibilidade do produto): O que é e qual é o seu impacto?

OSA TEAMCORE

Tabla de contenidos

As empresas de consumo massivo têm um problema comum que devem atacar desde a raiz: a falta nas prateleiras por não medir ou cuidar do OSA (on shelf availability) traduzido para o português é disponibilidade do produto na prateleira 

 

Imagine que você está andando pelo corredor do supermercado para comprar seu biscoito favorito, mas quando chega ao local dos doces e do café da manhã, tudo o que encontra é um espaço vazio.

Estranho? Não. Além disso, em alguns casos, a indisponibilidade de alimentos na gôndola chega a mais de 10%.

 

Os motivos pelos quais ele não é encontrado podem ser rupturas ou esgotados, em estoque, estoques fantasmas ou mesmo que o produto permaneça no armazém.

 

O cliente pode responder de várias maneiras; o mais razoável é que você prefira um produto substituto. No entanto, quer você compre ou não outro produto, a experiência de compra é prejudicada para sempre.

 

O que é o OSA (disponibilidade na prateleira)?

É traduzido para o espanhol como disponibilidade do produto na prateleira ou gôndola.

É um indicador vital para as empresas de consumo de massa que lhes permite saber se o produto estava ou não disponível no momento da compra.

 

Esta é uma ferramenta muito poderosa que analisa os SKUs de cada fabricante, indicando se estão ou não atendendo ao objetivo final: satisfazer o cliente com o produto certo, na hora certa e na quantidade certa.

 

Este indicador chave permite que as empresas desenvolvam medições para entender como estão se saindo em cada ponto de venda, além de gerar a evolução natural em sua estratégia, que vem desde o foco na venda com seus clientes, até a concentração de o desempenho de sell out e o desempenho de vendas das redes, e atualmente, evoluem para o OSA e os motivos da indisponibilidade.

 

Por quê? Já que um bom desempenho de vendas é resultado de uma boa disponibilidade e posicionamento e os demais indicadores como sell out e sell in serão consequência disso.

 

O que devemos medir dentro das empresas: OSA, quebras de estoque ou in-stock?

Segundo a America Retail, um KPI não mede os resultados e sim o desempenho de uma atividade, ou seja, são ações que são executadas e não os resultados que elas causam. Nesse sentido, é importante diferenciar cada fator de medição.

Em consonância com o exposto, ao avaliar a disponibilidade de seus produtos no ponto de venda, é importante distinguir os conceitos de estoque em loja e disponibilidade na prateleira, também conhecido como On Shelf Availability (OSA), pois em às vezes eles podem ser confundidos.

 

Quando falamos de OSA ou in-stock, estamos nos referindo à mesma questão subjacente: a disponibilidade do produto no ponto de venda.

Mas há uma grande diferença. O primeiro conceito refere-se ao fato de o produto estar disponível para compra na gôndola. Isso independentemente de ser uma exposição, cabeçalho, etc.

 

Há até 10 pontos percentuais de diferença entre o que está na loja (estoque) com a OSA, e entendendo isso, consegue aumentar as vendas com base na capacidade instalada.

 

Por outro lado, o conceito de estoque está focado no estoque do produto na loja. Isso representa um conceito mais global, que busca mostrar se o produto tem ou não unidades na loja.

 

Desafios do varejo

 

Pode haver mais de 10 pontos percentuais de diferença entre o OSA e o estoque, o que pode ser devido a operações de abastecimento ou loja. As causas de abastecimento podem ser referidas a rupturas e estoques, e as operacionais a estoque fantasma ou que o produto foi deixado no armazém. Em ambos os casos, o produto não foi apresentado ao cliente para compra.

 

Quando falamos de quebra de estoque, estamos falando de produtos que não estão em condições de venda em nenhum ponto de venda.

 

Então, revendo um pouco esses três conceitos, entendemos que:

  1. OSA: Disponibilidade do produto na gôndola
  2. Motivos da indisponibilidade: Fornecimento e Operacional
    1. Fornecimento: Eles podem ser resolvidos pela equipe do escritório
      1. Quebra de estoque: o produto não possui estoque no ponto de venda.
      2. Instock: inventário sistemático para cobrir o dia da venda nas instalações, ou os dias de venda acordados.
    2. Operacional
      1. Ajuste de estoque: O produto possui estoque fantasma e o ajuste é necessário para poder estocar
      2. Produto no armazém: O produto não foi transferido do armazém para a gôndola, pelo que o cliente não pode comprá-lo,
  3. Inventário do Armazém: O produto não está disponível para compra, pois foi deixado no armazém da loja.

Razões pelas quais o produto não está disponível no momento da compra

Para identificar o problema, devemos conhecer a raiz que o causa. Nesse ponto, o fato de o produto não estar disponível na prateleira pode estar relacionado a diversos fatores, desde estoques fantasmas até o produto que está sendo deixado no almoxarifado.

Aqui a precisão para detectar o erro é fundamental. Poderíamos usar técnicas de medição incorretas ou com pouca cobertura no nível do produto, local ou cadeia, e isso também afetaria as ações corretivas.

 

Entre os motivos mais comuns de indisponibilidade de produtos, encontramos o seguinte:

  1. Venda perdida por estoque menor ou igual a 0
  2. Estoque insuficiente
  3. Inventário desalinhado
  4. Produto no Armazém

 

 

Tecnologias disponíveis para medir OSA (disponibilidade na prateleira)

Existem diferentes modelos para medir a OSA (disponibilidade na prateleira).

Podemos medir se o produto está ou não na prateleira por meio de terceiros que visitam as lojas e coletam essas informações. Também podemos usar robôs, câmeras ou inteligência artificial.

 

  1. Tecnologias para coletar informações no ponto de venda
    1. Auditorias manuais
    2. Ferramentas analíticas
      1. Painel baseado em dados B2B
    3. Inteligência Artificial e Aprendizado de Máquina
      1. Modelos matemáticos preditivos
    4. Reconhecimento de Imagem
      1. robôs
      2. câmeras
      3. sensores
  2. Tecnologia para impulsionar o ponto de venda
    1. Ferramentas manuais do gerenciador de tarefas
    2. Ferramentas inteligentes de gerenciamento de tarefas
    3. Ferramentas básicas de comunicação como: telefone ou Whatsapp

 

O modelo Teamcore é preditivo com a mais alta precisão ou confiabilidade do mercado.

Atualmente, temos uma precisão de 94% para medir a disponibilidade do produto em todas as salas, todos os skus, 365 dias por ano.

 

O produto usado no Teamcore para medir a disponibilidade de prateleira é o Smart OSA. Isso se baseia no método e na granularidade de medir os produtos na gôndola com altos níveis de precisão, utilizando como único recurso as informações de vendas e estoque.

Mas não só para na medição, como também transforma automaticamente a informação em ação, conseguindo chegar a tempo para resolver os problemas e não depender da gestão humana.

 

 

O que é Teamcore?

A Teamcore é a empresa de tecnologia que leva o varejo moderno a novos padrões de desempenho. Com um método único, transforma dados em ação e tecnologia avançada em ferramentas simples, para capacitar equipes de escritórios e pontos de venda com tarefas inteligentes e insights que geram maior valor.

 

Como fazemos?

Através de sua plataforma e aplicativo baseado em Inteligência Artificial e Machine Learning. Calcule e identifique oportunidades de vendas e entregue as ferramentas para alcançá-las a partir da geração de tarefas inteligentes priorizadas por valor econômico.

 

 

É uma metodologia de trabalho que garante que a gestão no ponto de venda seja inteligente e produtiva com base nas vendas perdidas.

Gostou deste artigo?​

Assine o boletim informativo e receba as notícias mais relevantes do setor de varejo diretamente no seu e-mail

Fique um passo à frente com novos insights.
Inscreva-se gratuitamente em nosso boletim informativo.

Estudamos as últimas tendências em consumo de massa e varejo e as compartilhamos semanalmente para que você fique atualizado.