A loja “como meio” para reafirmar seu papel

O ponto de venda é um dos elementos que mais mudou após a pandemia. Seu papel agora é definido sob o modelo conhecido como Store as Media (a loja como meio).

 

O futuro das lojas físicas é um dilema constante no mundo do varejo. Com a pandemia, essa dúvida se aprofundou, mas a realidade mostrou que o ponto de venda continuou sendo o líder.

 

Para se reafirmar como protagonista do varejo, as lojas começaram a implementar a metodologia Store as Media, que propõe a implementação no ponto de venda de uma série de iniciativas digitais, como códigos QR, espelhos inteligentes e sinalização digital. Desta forma, o cliente usufrui de uma experiência diferenciada, atrativa e duradoura.

 

É assim que a loja se reinventa constantemente, para ser o mais experiencial possível. Estas ferramentas digitais que são implementadas, permitem alcançar uma maior competitividade. Além disso, através de uma ideia original, a essência e os valores da marca são transmitidos. 

 

Esta faceta interativa do ponto de venda torna-se atualmente mais relevante, pois, após o isolamento e outros efeitos do COVID que limitaram o contacto físico, muitos consumidores pretendem regressar à loja física e usufruir de uma experiência à medida dos seus gostos e necessidades.

 

Por isso, o desafio, em grande medida, é adotar comportamentos digitais no ponto de venda e utilizar uma combinação de diferentes ferramentas digitais, que tornem a loja um lugar mais atrativo, onde se demonstre o compromisso com o cliente e utilize o dados para criar interações personalizadas e contextuais.

 

Da mesma forma, trazer o digital para o mundo físico com essa metodologia promove a entrega ágil de resultados, para tomar decisões no prazo e fazer as mudanças necessárias para melhorar as vendas e o relacionamento com o cliente. Por exemplo, com a loja como meio, os dados e a análise de interações equivalentes a impressões no mundo digital são acessados ​​de forma direta e rápida, o que beneficia a marca, o mercado e o consumidor.

 

Papel do Metaverso

É importante levar em conta o papel do Metaverso, aquele universo digital paralelo ao físico, no qual também são desenvolvidas experiências de compras e gerenciados os públicos de interesse. A Zara, por exemplo, é a primeira marca a ter lojas neste espaço, liderando uma estratégia comercial focada neste novo ambiente.

 

Para Doug Stephens, CEO da Retail Prophet, hoje vivemos uma mudança que vai além da estratégia omnichannel, pois mídias como redes sociais e jornais estão se tornando uma loja, à medida que avançamos para o metaverso.

 

“As lojas físicas são canais imediatos para as marcas. São pontos diretos de experiência que conectam o produto com o cliente e integram o ecossistema da marca. Portanto, cada canal é um meio de mostrar a marca”.

Doug Stephens

CEO Retail Prophet

 

Benefícios da implementação da loja como meio

  • Modelo de receita escalável com maior previsibilidade.
  • Aumento de vendas de até 35%.
  • Forma eficaz de rentabilizar imóveis.
  • Maior comprometimento com o cliente.
  • Campanhas mais impressionantes, personalizadas e contextuais.

 

glossário de varejo

Gostou deste artigo?

Assine o boletim informativo e receba as notícias mais relevantes do setor de varejo diretamente no seu e-mail

Fique um passo à frente com novos insights.

Inscreva-se gratuitamente em nosso boletim informativo.

Estudamos as últimas tendências em consumo de massa e varejo e as compartilhamos semanalmente para que você fique atualizado.